Visita Virtual da Reserva Natural de Santa Luzia

Santa Luzia, com 35 km2, é a mais pequena e única ilha não habitada do arquipélago de Cabo Verde, servindo no entanto como porto de pesca temporário aos pescadores das ilhas de São Nicolau, São Vicente e Santo Antão.

A Reserva Natural, para além de ser um centro de elevada concentração de biodiversidade marinha de importância mundial, uma vez que inclui espécies migratórias (baleias, golfinhos, tartarugas marinhas e outros), é um ecossistema de elevado valor económico, ecológico e estético, possuindo sistemas dunares e habitats coralinos. As suas águas marinhas são refúgio de uma grande reserva de recursos pesqueiros de importância económica, como peixes demersais e lagostas costeiras.

A plataforma continental, que tem como limite a isobata dos 200 metros, também possui elevada importância económica, uma vez que nesta região ocorre a maioria dos processos de enriquecimento da cadeia alimentar, cobrindo uma área de 1050 km2. 
Os três bancos submarinos existentes na costa ocidental de África localizam-se nas águas de Cabo Verde. Estes bancos funcionam como local de refúgio e alimentação de uma diversa fauna local e migratória. Adicionalmente, os bancos submarinos são centros de convergência de uma variada biodiversidade dos oceanos e centros de atracção de muitos cientistas (biólogos, oceanólogos e ecólogos) e ecologistas. Também é importante salientar o papel regulador dos recursos piscatórios desta região, com populações que restituem ou renovam os stocks nas regiões piscatórias das ilhas.

Com o objectivo de defender e preservar os valores naturais de Santa Luzia e seus ilhéus, estes foram declarados em 1990 de Reserva Natural pela Lei nº 79/III/9G de 29 de Junho. Recentemente, o Decreto-Lei nº 3/2003 de 24 de Fevereiro, que estabelece o regime legal dos espaços naturais, paisagens, monumentos e lugares relevantes devido à sua biodiversidade, recursos naturais, função ecológica, interesses socioeconómico e cultural, turístico ou estratégico, incluiu a ilha de Santa Luzia e seus ilhéus na Rede Nacional de Áreas Protegidas.

(Baseado no Decreto-Lei Nº 40/2003 de 20 de Outubro)

Desta forma, este projecto foi criado pela necessidade de preservação do património ambiental da Reserva Natural de Santa Luzia. De facto, com a aprovação iminente do plano de gestão da reserva, que irá restringir o acesso do cidadão comum à ilha e aos ilhéus, torna-se imperativo criar um sítio web, denominado “Visita Virtual da Reserva Natural de Santa Luzia”

O projecto “Visita Virtual da Reserva Natural de Santa Luzia” consiste no desenvolvimento de uma aplicação multimédia interactiva com conteúdos que ilustram a riqueza natural e biodiversidade da reserva, sendo um veículo de disseminação e formação do público em geral, com um enfoque especial na comunidade escolar/universitária. Os alunos terão ao seu dispor uma ferramenta educativa, tornando-se também agentes de divulgação, transmitindo informação sobre a reserva aos membros da sua família (na sua maioria ciber-excluídos) e contribuindo desta forma para a preservação da reserva.

Utilizando elementos audiovisuais, como fotografia, vídeo e áudio, os aspectos mais relevantes da Reserva Natural serão caracterizados, contextualizados cientificamente e enquadrados, através de um interface de navegação intuitivo e simples. Desta forma, pretende-se que a aplicação seja acessível a qualquer utilizador da Internet, oferecendo uma experiência de “visita virtual” única e o mais completa possível.

 

Objectivos

O objectivo geral é a preservação do património ambiental da Reserva Natural de Santa Luzia.

O objectivo específico é promover a importância da Reserva Natural de Santa Luzia ao nível local – com um enfoque especial na comunidade escolar/universitária – e ao nível global de uma forma inovadora.