Reserva Santa Luzia

A presença humana na terra tem provocado inúmeras interferências no que diz respeito ao meio ambiente. O chamado desenvolvimento económico e social tem muitas vezes impactos negativos na biodiversidade e ambiente que nos rodeia, causando em algumas situações danos irreparáveis.

Actualmente, verifica‐se uma forte pressão sobre os recursos naturais, terrestres e marinhos a nível mundial, assim como uma tomada de consciência dos dirigentes da necessidade urgente de estabelecer um equilíbrio entre o desenvolvimento económico e a preservação do ambiente, promovendo assim uma sustentabilidade integrada e integral.

No que diz respeito ao arquipélago de Cabo Verde, país de fraco recursos naturais, vêm sofrendo diversas pressões, devido ao desenvolvimento de actividades económicas agregada à fragilidade dos ecossistemas, levando a uma progressiva degradação dos habitats e/ou perda da biodiversidade.

No que concerne à vulnerabilidade das espécies marinhas cabo‐verdianas, tem‐se verificado um aumento na captura dos peixes comerciais, a extracção de areia e a deposição de sedimentos nas zonas litorais como resultado das actividades realizadas nas ilhas.

A Reserva Natural de Santa Luzia, composta pela ilha de Santa Luzia e Ilhéus Raso e Branco, representa um ecossistema de elevado valor económico e ecológico, possuindo uma elevada concentração de biodiversidade de extrema importância ecológica e científica a nível mundial. Localizando-se entre as Ilhas de S. Vicente e S. Nicolau, a Reserva Natural de Santa Luzia, apresenta algumas espécies vegetais endémicas de interesse científico bem como, riqueza em flora e fauna, de entre as quais a Cagarra (Calonectris edwardsii) e a Calhandra do Ilhéu Raso  (Alauda Razae), espécies endémicas em vias de extinção. Possuem também diversas espécies migratórias como a baleia, golfinhos, tartarugas, entre outras A sua plataforma marinha é refúgio de uma valiosa reserva de recursos pesqueiros, economicamente importantes, tais como peixes de fundo e lagostas costeiras.

(fonte: Estudo Sócio-económico das Áreas marinhas protegidas da Baía da Murdeira e da Ilha de Santa Luzia e Ilhéus Raso e Branco, Ministério de Agricultura e Ambiente)